Arquivo do autor:alberto lins caldas

ferroada

Marielle Franco 2

● eu gosto de mel ●
● das asas transparentes das abelhas ●
● do sangue q coagula depois do ferrão ●
● da morte da abelha depois da ferroada ●
● do silencio das colmeias do amargo mel ●
● q guarda a violencia das asas nos favos ●
● q apodrecem todos os dia com essa tristeza ●

*

Anúncios

caronte

Cortazar

● quando viu ●
● entre lodo e azinhavre ●
● no aqueronte duas sombras ●
● caronte abriu largos olhos ●
● e bem murmurou claro e duro ●
● pra q todas nos ouvissemos ●
● sem esquecer nem se perder ●

● um deles eu sei ●
● mortal agora morto e triste ●
● o outro ei de conhecer um dia ●
● me faço de não saber nem sei ●
● e cumpro o q tera q vir e vira ●
● mas antes fecho os olhos ●
● ante tal destino idiota ●

● perco tempo entre brumas ●
● entre trevas q perderam o nome ●
● dormirei o tempo q desejar ●
● sempre sem sonhos e ciumento ●
● rasgando almas como insetos ●
● ate acordar e cumprir as ordens ●
● pondo o barco a caminho ●

● sei o q dizer e o q ouvirei ●
● sei tudo q vira depois a eles ●
● sei q o rio não me perdoara ●
● longe mais longe q o sol ●
● e as estrelas ●
● labirinto de luzes q devoram ●
● quem não aceita logo as ordens ●

*

não nascido

criança siria morta

● nonata devora areia ●
● bebe toda essa agua do mar ●
● isso q vai e vem e vai ●
● isso q dorme isso q morre ●
● sem o peso de existir mais ●
● o ceu esse azul da porra ●
● o mar esse verde da porra ●

● uma baleia olha ●
● seu filhote não nadara mais ●
● ele sonha na areia da praia ●
● a gaivota olha ●
● seu filhote não voara ●
● ele sonha na areia da praia ●
● tão profundamente ate o fim ●

● os homens olham ●
● seu filhote não importa ●
● ele não sera homem ●
● não sentira tudo q sentiria ●
● não vivera tudo q viveria ●
● ele é apenas uma carne morta ●
● q viveu tudo pra viver e nada ●

● a morte o não nascer o sono ●
● isso entorpecido q não existe ●
● não sonha não deseja o ser ●
● embriagado zonzo de vazio ●
● sem palavras sem dor sem ar ●
● nem a terra nem o desejo ●
● muito menos menos o gozo ●

*

nonata

mannequin

● a poeira baixou a chuva interminaval ●
● começou como um alento e não cessa ●
● quando as tempestades se acalmarem ●
● quando voltarmos a viver nossas vidas ●
● quando esses gritos desaparecerem sim ●
● ai então vamos ver o q sobrou de nos ●
● de tudo q criamos e vivemos sem saber ●

● sei q depois disso nada menos q ruinas ●
● minusculas ruinas sosomenteso nonata ●
● alguns ratos q seremos nos nos buracos ●
● saindo e se olhando agora sabendo tudo ●
● sei q sera momento de extrema alegria ●
● duma fome infinita e q não se adia não ●
● assim nos devoraremos sem nos saciar ●

*

giordano

woyzeck 2

● giordano bruno antes das primeiras chamas ●
● antes mesmo das cordas nas pernas e braços ●
● antes de ser arrastado de casa como um porco ●
● antes de jantar me disse q a dor é o inferno ●
● eu repliquei q não havia novidade nisso ele ●
● se levantou e disse é precisamente isso ele ●
● disse a dor é pior q a morte e a vida juntos ●

● bebemos um vinho branco da gasconha e ele ●
● olhava pela janela de repente disse a dor a dor ●
● apenas a dor separa vida e morte ceu e inferno ●
● deus jamais sofreu jamais sofrera deus não sabe ●
● nem da vida nem da morte ou mesmo do infinito ●
● q não passa de variantes da dor variantes da dor ●
● ele repetiu terminando seu bom vinho branco ●

● eu disse giordano não compreendo nada disso ●
● eu riu e eu jamais ouvira giordano rir e ele riu ●
● disse a unica coisa q existe é a dor nada mais ●
● em poucos dias eles vão demonstrar isso a mim ●
● deus tara no centro do horror tentando saber ●
● não passa duma farsa q escapa ate a todos nos ●
● parece simples mas somos ondas de dor ondas ●

● pus em seu copo mais vinho e ele disse ondas ●
● simples ondas de dor cada uma diferente da outra ●
● menos deus esse não sabe nada do q é a dor a dor ●
● inda existimos porq ele quer saber isso e não mata ●
● tudo q criou fica apenas diante de tudo q sofre ●
● olhando como louco insatisfeito como louco e ri ●
● jamais podera saber mesmo sempre sabendo disso ●

● é ele quem faz tudo sofrer ate as cinzas as fezes ●
● q faz homem e animal se abrir em fezes e gritar ●
● como se tivesse nascendo pensa deus olhando a dor ●
● o tumor crescer ate se tornar o sujeito inteiro e abrir ●
● berrando como porco com a faca enterrada ate o fim ●
● a mulher parindo q vai morrer deus ta ali sem sabermos ●
● é por isso q serei assado como uma galinha nolano ●

● não pelo infinito dos mundos ou qualquer dessas tolices ●
● apenas porq deus precisa ver com os mesmos olhos ●
● q o degenerado olha a mulher nua pelo buraco da porta ●
● mesmo sabendo q inda assim não entendera a dor a dor ●
● e saira dali me deixando torrado uma fogueira na chuva ●
● sem dizendo pra si mesmo q sendo impossivel saber ●
● ele não é deus so pode ser deus quem sabe o q é a dor ●

*

figos

odd nerdrum 2

● figos maduros ●
● deixando escorrer gotas ●
● de açucar de figos maduros ●
● pelos galhos pelas folhas ●
● gozando as gotas de açucar ●
● de figos maduros ate o chão ●
● ate formigas ate as moscas ●

● maduros os figos estouram ●
● deixando escorrer gotas ●
● maduras de açucar nos galhos ●
● pelas folhas gozando o açucar ●
● de figos maduros ate as raizes ●
● ate a terra ate as pedras o po ●
● formigas as moscas os vermes ●

● figos maduros ●
● deixam escorrer pelos galhos ●
● pelas folhas ate as raizes ●
● ate a terra ate as pedras e o po ●
● o açucar em gotas pras moscas ●
● pras formigas pros vermes ●
● depois caem e somem podres ●

*

cava

hitler

● o verme cava ●
● cava violentamente engolindo lama ●
● lama e merda de verme desde q nasceu ●
● ele cava sem saber sem saber ele cava ●
● sem sentir o q devora ele engole ●
● ele cava cava sem saber ele sente e cava ●
● entre raizes entre pedras e ossos ele cava ●

● quem sabe sonha construir castelos ●
● cidades lama infinita quem sabe tuneis ●
● ver o sol a lua as estrelas sentir o vento ●
● ele cava no desejo de todos os vermes ●
● um universo e quem sabe a imortalidade ●
● o verme cava violentamente sem cessar ●
● como todos os vermes do mundo ●

● como se fosse chegar nalgum raro lugar ●
● como se obedecesse uma ordem divina ●
● o verme cava cava violentamente e cava ●
● engolindo merda e lama entre raizes cava ●
● sem sentir sem saber o q devora o agora ●
● ate uma imensa boca aberta cheia de dentes ●
● onde mergulha violentamente sem saber ●

*