Poema 1 de Giulia Nogueira

Imagem: Pinterest.com

um poema quando nasce esparrama pelo chão

livros de poesia

amuletos panfletos etc

talhados um a um

pelo silêncio-princípio

inconformado

da sua própria capa

cidade

não almejam

servir-lhe

de portas abertas

menos ainda

de oráculos certos:

a tua procura é quem

devora por onde

pisa.

Giulia Nogueira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s