A minha navalha

tenho uma navalha para a tua barba suja/ tenho uma navalha para raspar cabeças/ navalha cega/ fios negros a pousar no chão de anil/ afio/ corto os dedos/ olho no espelho/ ah Occam, Occam, Occam… quanta vezes te pergunto e não teu silêncio só grita escuro/ Hoje sou gravidade/ lâmina fina/ já não carrego nada sob a minha camisa diminuta, muída/ excesso..

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s