Poema de Marilize Bentes

anastasia lisich

Arte: Anastasia Lisich

Eu preciso sair pra vida
Botar roupa de viver
Pra desintoxicar
Eu to farta de paredes e tetos
To farta de mim
Porque eu, em excesso, sou demasia
Eu preciso do outro
Do ar
Dos ares
Das canções das ruas
Do vento importunando meus cabelos
Eu não gosto de vento
Preciso de vento
Preciso do céu
Sem quadrados
Sem telas
Sem distâncias
Estou farta de mim
Não é pessoal, juro
Juro pela minha dor
Pela minha falta
Pela minha saudade
Preciso do mundo
Dos corredores
Da minha mesa emprestada
Do sussurrar dos livros
Dos insights
Dos orgasmos acadêmicos
Do maldito prazo
Da agonia
Da luta
Da procrastinação legítima, não imposta
Da lida
Da utopia
Encontros
Pessoas
Carne
To com saudade dos cafés
Poéticos
Confidentes
Terapêuticos
Do barulho das bandejas
Da música tocada
Dentro e fora da gente
Burburinhos
Gargalhadas
Lamentos solitários
Estamos solitários
Detesto vídeos
Eles doem
Implicam saudade
Implicam distância
Sou eu, distante
Vídeo, distância, saudade, paliativo
To farta do ciclo
To precisando sumir
De mim
Do exagero de mim

Este post foi publicado em Avulso em por .

Sobre luisagadelha

Luísa é graduada e mestra em Letras, graduanda em Filosofia, ama literatura desde sempre e quadrinhos há alguns anos, tem preferência por romances (longos), sejam clássicos ou contemporâneos e se esforça - ou nem tanto - para ler mais poesia. Isso quando não está vendo séries.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s