parto

solitude
PARTO

Nove meses. Ela se levanta exausta, ainda presa ao subsolo, o granito enrijecendo cada milímetro de sua pele. Sente a aridez que paralisa os órgãos. Inspira com dificuldade e quase duvida. Confere a data no celular. A hora é esta. É este o dia. O vazio mineral. Não sabe mais a vida. Deseja o parto a termo do amor que não pôde gerar.

Alberto Bresciani

Imagem base: Solitude, Google

Anúncios

Uma ideia sobre “parto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s