RECURSO, Leo Barbosa

RECURSO

recurso_renovavel-700x466

 

Na minha canção

Que nada diz

Estende-se a mão

De alguém único,

Revelando a solidão

E também a esperança.

 

Na ausência de sentir

A carne em viva poesia

Descortinou seus seios

E apontou seus anseios

Na minha face.

 

Dicionário do corpo

Vocabularizando-me

Sem palavras a proferir.

Me fere, me afeta; morde.

O amor é um mito

E omito que é caos.

 

Mas a ordem

Não altera os fatos:

Esse anjo maldito

Que agora hesito

Me redime do assombro

De viver de mãos dadas

Com a sorte.

 

Lá dentro – escombros

Que agora pouco escondo.

Com a gente

Não me sinto indigente.

 

É o vento que despetala a rosa.

E o tempo roça em minhas coxas.

 

Recuso o recurso.

As horas

não

existem.

 

LEO BARBOSA

Anúncios

Uma ideia sobre “RECURSO, Leo Barbosa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s