Arquivo do autor:Jon Moreira

Para um poeta de duque e terno

Tentei tragar

uma ponta qualquer

de poesia.

Imagem que seja

Baga que sobre

 

Filtrar e ficar

com coisa de

pedra qualquer

estranheza

aspereza

entranha.

 

Não vi além:

dado qualquer

nos lances

toada fácil

rio calmo

água morna

 

Flui

sem correnteza

 

poesia morta

Jon Moreira