ESTREIA, poema de Leo Barbosa

 

 

ESTREIA

0012

Que não me peçam o conhecimento da vida
que dela sou um amador.
Seu ritmo se impõe

nos tropeçados improvisos
as mais atenuantes visões.

Como é cruel retirar das palavras
as urgências.
Se ao menos houvesse
uma segunda chance…

Mas não há bastidores.
Não. A cena é este palco
e a dúvida é sempre uma
estreia.

LEO BARBOSA

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s