Liberdade das palavras

PAREI,

Para ouvir: Há de ser retórico!

e construa estruturas passivas

e mostre um mundo abastardo

e conduza intrigas poéticas

INACEITEI…

Exijo liberdade!

Sou degredado da forma

Quero Vida!

Delicio-me nas poéticas mundanas.

CAMINHEI

Obrigam-me a ser escudeiro e tiram-me as armas e os cavalos,

rotulam-me na classe dos inuptos e rasgam minha casta.

Detenham as rimas! Gritam eles galopantes

Ressoo um: Sou AntiTudo que rompante

CONFESSEI!

Vivo nas chitas das meninas e nos farrapos das orgias

Abrigo-me nos bares e nas bebidas, encaro a embriaguez da vida.

REVIVI!

Não sou esquecido! Desenterraram-me as palavras,

ressuscitaram-me os escombros,

Para a tua boca lida

DEFINI!

Aqui moram as palavras mais estranhas, das zonas corrompidas.

GARGALHEI… NÃO IMPORTO! SUPORTO!

Alexandre D Coqui

Anúncios

Uma ideia sobre “Liberdade das palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s