PÁRIA (poesia para tempos de sangue)

Ser brasileiro
Todos os dias
Chorar sorrir morrer
Amar jamais

Desconheço outra ordem
Os dias mesmos poeira tardia

Abraços da morte
Triste visita
Que fazer?
Ao meu lado caem sombrios
Irmãos que poderiam ser meus

O país debaixo da terra
Meus pais e irmãs
Mãos dadas
Sufocam e cessam
Desertos
Indiferentes

Como qualquer brasileiro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s