MAIS DÍSTICOS DA MORTE (poesia para tempos de sangue)

Alguém que morre na tv.
Amanhã pode ser você.

§

Aquela festa que você posta
só diz que você não se importa

§

As asas do vento ao sol.
Pulmão vazio de outra avó.

§

Direto do Planalto sai a ordem:
Não tem vacina. Deixe que sufoquem.

§

Em um governo genocida sem guerra
funda-se um novo país sob a terra.

§

Entuba, vai! Com morte cerebral!
Bonde do covidão pega geral!

§

Genocida no poder.
Façam fila pra morrer.

§

Outro desconhecido entubado:
colateral, governo do descaso.

§

Praia cheia, caipirinha, aglomeração,
o ouriço do povo é contaminação.

§

Sem censo, sem dados,
todos cancelados.

§

Taxa de ocupação elevada.
A UTI começa na calçada.

§

Você sai pra trabalhar
pro patrão se vacinar.

§

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s