bastidores

90315474_2944131098984600_2786022964246609920_n

há dez anos eu era magérrima e tão triste
tomava laxante contava calorias como se
contabilizasse minhas economias tinha já
minha escova de dentes pronta para usar
depois do almoço mas usava ao contrário
tinha fotos de atrizes também magérrimas
e tristes coladas de cima a baixo no quarto
na frente do guarda-roupa no caderno nas
paredes murchava a barriga ao espelho eu
sonhava como ficaria com minhas costelas
furando a carne fina e despontando na pele
eu queria ser leve a ponto de ser carregada
pelo primeiro vento que soprasse mais forte
e no fundo no fundo não era pelo incômodo
não era por carência nunca foi pela estética
no fundo eu queria mesmo era voar e sumir

(Amanda Vital)

Este post foi publicado em Avulso em por .

Sobre vitalamanda

Amanda Vital (Ipatinga/MG, 1995) é editora-adjunta da revista Mallarmargens. Bacharel em Estudos Literários pela UFMG, atualmente cursa Mestrado em Edição de Texto pela Universidade Nova de Lisboa. Autora dos livros 'Lux' (Penalux, 2015) e 'Passagem' (Patuá, 2018). Tem poemas e traduções publicados em revistas, blogs e jornais – virtuais e impressos – como Germina, Mallarmargens, Ruído Manifesto, Correio das Artes, Acrobata, Equimoses, Zona da Palavra, RelevO e Caliban. Também participou de antologias como '29 de abril: o verso da violência' (Patuá, 2015) e 'Ventre Urbano' (Penalux, 2016). Foi curadora da 4ª edição da antologia 'Carnavalhame' (2020). Tem poemas traduzidos para inglês e catalão. Contato: amandavital@live.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s