paragem de autocarro

4271029

Foto de Fernando Porto

as noites em óbidos são de derrubar qualquer coração
desgraçado: a muralha iluminada de um amarelo suave
ao fundo das casinhas brancas ao fim do resto de fado
que ainda se ouve no largo. casais de velhos asiáticos
tiram fotos com flash em frente ao santuário do senhor
da pedra. as senhoras têm blusas de cores combinadas.
um último gole de ginja samba na língua da menina ao
pé da escada no snack bar. dois carros entram no hotel.
juro ouvir sotaque baiano saindo da janela de um deles
mas a essa altura qualquer espanto é mais um espanto.
descanso os pés na sarjeta: meu coração é desgraçado.

(Amanda Vital)

Este post foi publicado em Avulso em por .

Sobre vitalamanda

Amanda Vital (Ipatinga/MG, 1995) é Bacharel em Letras - Estudos Literários pela UFMG. Atualmente, cursa Mestrado em Edição de Texto pela Universidade Nova de Lisboa. Autora dos livros Lux (Editora Penalux, 2015) e Passagem (Editora Patuá, 2018). Seus poemas são encontrados nos blogs Amanda Vital Poesia, Equimoses e Zona da Palavra, além de espaços virtuais como Germina, Ruído Manifesto e Literatura & Fechadura. Também participou de antologias como Ventre Urbano e 29 de abril: o verso da violência. Foi curadora da 4ª edição da antologia Carnavalhame. Integra o conselho editorial da revista Mallarmargens. Contato: amandavital@live.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s