Poemas de Expedito Ferraz Jr.

folha morrendo

Imagem: Pinterest.com

 

NOTURNO

 

(

Desfolham-se os olhos.

Pousa no branco

o improvável outono.

)

Descansa,

logo virá o sono.

)

 

 

 

 

ETERNIDADE

 

De repente,

nada

acontece.

 

E depois,

é como se nada

tivesse acontecido.

 

 

 

DESCONCERTO

 

Um quarteto

de cordas.

 

Um arranjo

de flores.

 

Um solo

infinito.

 

 

VISTA AÉREA

 

a certa altura,

a vista de um cemitério

se afigura

como a visão

de uma única

sepultura

 

a certa altura,

já a toda uma cidade

se mistura

essa impressão,

e a arquitetura

de alamedas,

letreiros e ladrilhos

faz ver

canteiros,

lápides,

jazigos.

 

a certa altura,

impossível distinguir

entre ruína e criação;

entre o milagre

da civilização

e o terremoto:

tudo quer nos parecer

destroços.

 

a certa altura,

resta aprender

a carregar os mortos

na vala comum

dos nossos próprios

ossos.

 

Expedito Ferraz Jr.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s