Poema LVIII de Líria Porto

lua clarao

Imagem: Pinterest.com

 

EGO

 

eu de mim não me queria

minhas grandes inconstâncias

minhas tantas insolências

meu saltitar cansativo

e de mim quase abortei

 

então de mim fui ficando

fui gostando dessa mim

acomodando-me às beiras

e se eiras eu não tinha

agora tenho

 

eu de mim já muito quero

pus-me à frente em minha fila

mas porém sem holofote

dessa lua eu não preciso

tenho eu clarão de mim

 

Líria Porto

in: Cadela Prateada, Editora Penalux.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s