Poema (11) de André Luiz Pinto

anzol

Imagem: Pinterest.com

 

Que importa

sangrar do mesmo

destino,

berne ou raiz?

Do extraviado olhar

a essência me cai bem

desertor

Fico na escuta

Sem metáforas

de plantão

Um cão morde a isca

Agora é infalível.

 

André Luiz Pinto

in: Primeiro de Abril, Editora Hedra

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s