desvelo

aaaaaaaaaaa

Arte de William-Adolphe Bouguereau

para Lara

acho que é coisa de irmã mais velha: perguntar
das noites e das fomes com certa entonação de
quem envolve o outro com os braços e o fôlego
sempre muito fortes. caminhar atrás para vigiar
os passos os matos as pedras ou as trincheiras.
perceber as influências crescendo rijas em volta
da rotina. perceber a fala os modos a expressão
e todas essas sutilezas a atravessarem os olhos
capturando as fagulhas em vulto de fuga e medo.
acho que é coisa de irmã mais velha: não chorar
na despedida como se chora abraçado às mães.
calcar a saudade contra as paredes da garganta.

(Amanda Vital)

Este post foi publicado em Avulso em por .

Sobre vitalamanda

Amanda Vital (Ipatinga/MG, 1995) é Bacharel em Letras - Estudos Literários pela UFMG. Atualmente, cursa Mestrado em Edição de Texto pela Universidade Nova de Lisboa. Autora dos livros Lux (Editora Penalux, 2015) e Passagem (Editora Patuá, 2018). Seus poemas são encontrados nos blogs Amanda Vital Poesia, Equimoses e Zona da Palavra, além de espaços virtuais como Germina, Ruído Manifesto e Literatura & Fechadura. Também participou de antologias como Ventre Urbano e 29 de abril: o verso da violência. Foi curadora da 4ª edição da antologia Carnavalhame. Integra o conselho editorial da revista Mallarmargens. Contato: amandavital@live.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s