MATAR A ESPERANÇA (poesia para tempos de sangue)

o antipássaro vigilante
abre suas asas de metal
sobre todas as crianças

o céu entrou pelas costas
não mais que um instante escarlate

oito anos passam
muito mais depressa
que oito versos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s