Poemas (16) de Marcelo Maldonado

noir

IMagem: Pinterest.com (Joseph Cotten in The Third Man (1949, dir. Carol Reed))

 

(das palavras)

por vezes
de tão densas
mal traduzem
o que pensas
por outras
de tão fluidas
escapam céleres
ao que cuidas

=============

(do cinema noir)

bastava-se
para seu
próprio espanto
e nenhum ai
se deflagrava
como quem de si
se desagrava e
se extrai de
quando em
quando uma
canção em
preto-e-branco

=============

(dos impasses)

se não dizes
se não calas
abre alas
abre alas

 

Marcelo Maldonado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s