Poemas (16) de Marcelo Maldonado

noir

IMagem: Pinterest.com (Joseph Cotten in The Third Man (1949, dir. Carol Reed))

 

(das palavras)

por vezes
de tão densas
mal traduzem
o que pensas
por outras
de tão fluidas
escapam céleres
ao que cuidas

=============

(do cinema noir)

bastava-se
para seu
próprio espanto
e nenhum ai
se deflagrava
como quem de si
se desagrava e
se extrai de
quando em
quando uma
canção em
preto-e-branco

=============

(dos impasses)

se não dizes
se não calas
abre alas
abre alas

 

Marcelo Maldonado

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s