Poema (2) de Casé Lontra Marques

cipoal

Imagem: Pinterest.com (Holly Irwin)

 

Cipoal

 

E se nunca houver cura?

Pelo menos

por enquanto, desconheço

dádiva

sem dano; mas escolho, ainda

assim, a entrega — devotando

ao estrago

vínculos estritamente

vastos.

Veias atravessam

(enoveladas)

as virilhas — cipoal macio:

que

escalo, que

escavo.

 

Casé Lontra Marques

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s