caronte

Cortazar

● quando viu ●
● entre lodo e azinhavre ●
● no aqueronte duas sombras ●
● caronte abriu largos olhos ●
● e bem murmurou claro e duro ●
● pra q todas nos ouvissemos ●
● sem esquecer nem se perder ●

● um deles eu sei ●
● mortal agora morto e triste ●
● o outro ei de conhecer um dia ●
● me faço de não saber nem sei ●
● e cumpro o q tera q vir e vira ●
● mas antes fecho os olhos ●
● ante tal destino idiota ●

● perco tempo entre brumas ●
● entre trevas q perderam o nome ●
● dormirei o tempo q desejar ●
● sempre sem sonhos e ciumento ●
● rasgando almas como insetos ●
● ate acordar e cumprir as ordens ●
● pondo o barco a caminho ●

● sei o q dizer e o q ouvirei ●
● sei tudo q vira depois a eles ●
● sei q o rio não me perdoara ●
● longe mais longe q o sol ●
● e as estrelas ●
● labirinto de luzes q devoram ●
● quem não aceita logo as ordens ●

*

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s