Poema (5) de Chris Herrmann

linha vermelha.jpg

Imagem: Pinterest.com

 

Linha vermelha

era o estilhaço
nos meus olhos
a sangrar as vias,
afinando a escrita
a ferro passado.

pude até retocar
o sorriso da menina
no espelhar do aço –
o corte de sombras
(rente às sobrancelhas)
a me trazer de volta
o presente.

sigo hoje contornando
cacos da linha vermelha,
delineando meus passos:
tropeçando nas retinas,
odisséias femininas,
novas lentes e acasos.

 

Chris Herrmann

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s