Poema (62) de Tito Leite

multidão

Imagem: Pinterest.com (Ismael Nery)

 

REVELAÇÃO

 

Falta um afago

nas ruas

que pavimentam

as multidões.

 

Quando o artista briga com

a tirania do horizonte,

salta um sentimento

de beatitude entre os pulmões.

 

Vidas destroçadas:

desencanto

pelas metrópoles.

 

Dostoiésvski embriagou-se

do sermão da montanha,

lembra um teólogo,

diante da divina intuição:

 

o inferno não

é um lugar das almas

non gratae,

é a indigência de amar.

 

Tito Leite

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s