Poema (56) de Tito Leite

tempestade copo

Imagem: Pinterest.com (Elena Helfrecht)

 

 

HERÓIS NASCEM DE TEMPESTADES

 

O vento lembra gatos

em passos de jazz.

Os mistérios provocam

fome nos olhos.

 

Chuva carregada

pela nuvem do não saber.

A felicidade não exige

ponto de vista.

 

O que a ciência

não pensa – loucos

e místicos dizem amém

– pássaros entendem.

 

A espessura que torna real

a beleza das árvores

em extinção, saca um pardal

da carnadura dos telhados.

 

No íntimo dos temporais,

morde-se a raiz

das metamorfoses:

matar o crepúsculo dos ídolos

é nascer de novo.

 

Tito Leite

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s