Poema (12) de Tiago Dias

baia

Imagem: Pinterest.com

 

Saía da cidade

 

enquanto saía da cidade

pelo mar da baía,

as imagens figuravam

minha meninice

e uma saudade.

enquanto saía da cidade

entrava em mim,

minguando nos olhos

minados pela baía

de todos os santos

que falava-me ao ouvido.

enquanto saía da cidade

as linhas do criador

misturavam-se as do homem.

a baía existia

enquanto saía da cidade,

os cargueiros traziam o mundo

em contêineres fechados.

a baía encontrava

suas línguas de mares distantes.

enquanto saía da cidade

o tempo inculto me engolia,

a vida em trânsito cobrava

o que só a baía encontraria.

enquanto saía da cidade

a distância explicava

e entendia a bruma –

éramos uma única imagem:

a cidade, eu e a baía.

 

Tiago Dias

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s