[oferecias uma farpa…]

oferecias uma farpa musical à derradeira luz com que me tecias
os lábios

desaparecia ao sabor das vozes ou escuridões alheias
e tu mergulharias terra adentro percorrendo o calor que há em ti

depois só querias desmoronar as músicas desfeitas
pelos teus maxilares rompendo o ventrículo virado para baixo
das veias repletas de rosas doces que se abrem para entontecer
os instrumentos com que tocarias uma nota musical
sequer

 

filipe marinheiro, em «noutros rostos», chiado editora 2014

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s