Poema (2) de Elisangela Braghini

mar-calmo

Imagem: Pinterest.com

 

PREVISÃO DE TEMPO

 

Hoje o mar está calmo

algas negras de detrito

oxigenam ondas brancas

em dentes arrecifando no raso

o desejo a mordiscar meus lábios

 

Hoje, como nunca, o mar está calmo

mas temo a chama invisível

aquecendo a boca de lobo

a engolir meus sonhos

 

Mas, o mar hoje está calmo

ouso passos da areia ao cais

mergulho olhos profundos na linha tênue

onde o céu se entrega ao azulaceo raro

 

Finalmente, hoje o mar está calmo

penetrando a imagem a não dar pé

flutuo no infinito dos planos e juras

rabisco na memória o duplo dos anos

que já não cabem na nossa poesia

 

Elisangela Braghini

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s