Poema (1) de Elisangela Braghini

sangue.jpg

Imagem: Pinterest.com (Julian Race)

 

INTERDITADO

 

Hoje não há poema

minha mente que tudo entende

cedeu ao meu delicado coração

cansado de batidas vãs

 

Hoje não há poema

doce ou salgado

consistente ou melado

intenso ou desmembrado

 

Hoje não

há poema

apenas um despreparado escarro

de sangue larejante

 

um novo calo

 

Elisangela Braghini

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s