Poema (50) de Tito Leite

ausencia

Imagem: pinterest.com

 

SOM E FÚRIA

 

No limite de um mundo

pobre em significados,

solto astronautas

de manicômios

e a estrelografia

tem a consistência

do aço.

 

O devaneio

é o único domínio

dos fatos.

 

Sonhamos tanto,

amamos tanto,

mas no final,

calamos as medidas

numa casa

de ausências.

 

Tito Leite

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s