Poema (5) de Regina Celi M. Pereira

 

cantogalo

Imagem: Pinterest.com

 

SILÊNCIO E SONS

 

Acordes ficcionais

burlam o real

até o último

canto do galo.

 

Enquanto faz-se o dia,

na silenciosa domus,

o poeta disseca o poema

até a última gota

de palavra.

 

Regina Celi M. Pereira

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s