[cerca-me a audível beleza…]

cerca-me a audível beleza num exausto rigor com que me rodeio
por casas abandonadas pelos alpendres nocturnos desérticos
casas cada vez mais secretas e esperançosas

então deito-me na baía da lua a cheirar a fogo pouco fresco
e dispo-a lentamente – a beleza

filipe marinheiro, in «noutros rostos», chiado editora 2014

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s