[podias dizer…]

podias dizer manchas negras dos dias
e todo o andar tornar-se-ia tinta anoitecida de tantas manchas
e o sol rastejaria formidável

com uma pedrada acertei nas raízes do mar enquanto lembrava
muros a explodir

até interrogar os dialectos dos cometas pendurados
na ponta dos meus dentes como quem morde ou hipnotiza

perdia-me nas plantações das estrelas
desse ousado tremor de terra a comprimir as forças noctívagas

continuasse
a estrangular o espelho no exterior dos anéis em vertigem
viveria talvez na memória dos rumores

e abandonaria a alma ao encontro da nova noite
carregada de tristezas com que agito o sol doce de meu corpo

 

filipe marinheiro, in «noutros rostos», chiado editora 2014

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s