Pedra Rolada (Poema de Mario Quintana)

rocha.jpg

Imagem: Pinterest.com

 

Esta pedra que apanhaste acaso à beira do caminho

_ tão lisa de tanto rolar _

é macia como um animal que se finge de morto.

 

Apalpa-a… E sentirás, miraculosamente,

a suave serenidade com que os mortos recordam…

 

Mortos?! Basta-lhe ter vivido

um pouco

para jamais poderem estar mortos

 

_ e esta pedra pertence ao universo deles,

ao nosso Universo…

 

Deposita-a

no chão,

cuidadosamente…

 

Esta pedra está viva!

 

Mario Quintana

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s