Gênese

Não sei se no Princípio era o Verbo

Sei que a palavra inaugura o mundo

 

Não sei se houve serpente

Mas a tentação já me pulsou para o absurdo

 

Tampouco a expulsão do Paraíso confirmo

Mas uma saudade enorme de algum lugar bom

Onde eu jamais estive

 

E esse suor

E as dores

E esse pão negado

E não repartido

 

Um dia deitei sob árvores, decifrei nuvens

E vi que era bom

Noutro, houve uma mulher com uma ferida aberta

Que só recebia a atenção dos mosquitos

 

Não sei de outro Céu

Nem de outro Inferno

Que não aqui.

 

 

Adriane Garcia

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s