[serias a lágrima…]

serias a lágrima
que dentro de ti escorrega por entre tropeções e fome

poderias ser o azul doce do mar a verter águas até ao limite
donde tudo começa ou acaba a chorar de novo
tremendo na superfície das pálpebras como macias flores de neve

nessa lágrima flutuarias e amarias
poderias imaginar poderias morrer de olhos bem abertos
se te inclinasses para fora de ti
e a procurasses em cada rosto sobreposto

procura a giratória lágrima que a cada derramamento se alarga
sangrando prontamente à tua voz

filipe marinheiro, in «noutros rostos», chiado editora 2014

 

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s