Poema (3) de Carlos Orfeu

cacos1

IMagem: Pinterest.com

 

mãos invisíveis tramam
num áspero ritmo
o duro rosto de barro

em desacordo com o espelho
o rosto se reconhece e se dissolve
outras faces nascem

atravessando o mudo reflexo
uma imagem cansada parte

e sobre a desalmada terra
incidem mil disfarces em pedaços

 

Carlos Orfeu

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s