[entre a verde neve…]

entre a verde neve e os cabelos solares que modelam a densidade
das palavras embatem as crianças complacentes quando cercam
os prados num incêndio genial

e durante a noite dormem encostados ao seu reflexo na solidão
por despontar enquanto acabam o que nunca começam por fora
da sua memória

essas crianças perdem-se nas vagas de chuvas torrenciais
mas indiferentes evaporam-se facilmente com tanta neve verde

filipe marinheiro, in «noutros rostos», chiado editora 2014

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s