Nascedouro (Poema de Nathan Sousa)

silencio

Imagem: Pinterest.com

 

nascedouro

 

o silêncio

não é uma invenção

de traficante

ou de poeta.

 

também não se mostra

como possibilidade

plena de vivência,

já que a consciência

toca manadas

de rumores

em marchas

insones.

 

a voz não cessa

enquanto há

memória

(mesmo surda,

mesmo muda)

e o silêncio

não nasce

de um útero

sem signo.

 

portanto,

é uma aspiração

do nada

após

o existido,

 

e que

só conseguiria

plenitude

se ele

(o silêncio)

assumisse

o inexistente

na forma

e no nome.

 

quem inventou o silêncio

assim o fez

(suponho eu)

diante da face

sedutora da recusa,

e conheceu

(assim como eu)

a difícil arte

de manusear

o anseio por significação.

 

até ele

(o silêncio)

nasceu

da relação

com o outro,

já que

de outro modo,

não nos serviria

 

nem para calar.

 

Nathan Sousa

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s