O relojoeiro

O Relogioeiro (Jordélia)

Foto: Jordélia Alcântara (especialmente para a zonadapalavra)

 

Gato a escorrer-se

Nas pontas dos dedos

Feitio de pena

Que tange as engrenagens

Como rebanho aceso

Precário de som

E abundante no aço

E no girar.

 

Partícula depurada

Na agilidade

Do gesto

Para que o pó

Só se esvaia

De grão em grão,

Como molécula extinta

No tombo da luz.

 

Segundos invasivos

De cegueira ao redor

E lupa

No que é calcanhar.

Ponteiros

Que esperam nus

O sopro

Que os tornará

Aventura

E círculo.

 

Assim se ressuscita

O tempo!

 

Márcio Leitão

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s