no centro

Njideka Akunyili Crosby 2

● no centro obsceno da escravidão ●
● as aves q aqui gorjeiam não gorjeiam como la ●
● ai q saudades q tenho da aurora da minha vida ●

● negra minha negra minha roupa ta tão mal passada ●
● tudo o q ha de melhor vive em teu corpo nu ●
● de adolescente e ao meu amor serei atento ●

● no centro obsceno da escravidão ●
● me basta um pequeno gesto feito de longe de leve ●
● ?q pode uma criatura senão entre criaturas amar ●

● preto meu preto ha tanta terra inda por trabalhar ●
● q esse amor não me cegue nem siga nem de mim ●
● nunca se aperceba e o beijo tacito e a sede infinita ●

● no centro obsceno da escravidão ●
● como eu palmilhasse vagamente estrada pedregosa ●
● tomarei banhos de mar e quando tiver cansado deito ●

● cavalo meu bom cavalo ha tanto capim no teu ceu ●
● turvo turvo a turva mão do sopro contra o muro ●
● e conversamos toda a noite e a via lactea cintila ●

● no centro obsceno da escravidão ●
● a cidade é passada pelo rio como uma rua é passada ●
● assombrado com a minha sombra magra pensava ●

● sinha minha boa sinha se vai a primeira pomba ●
● despertada se vai outra enfim dezenas de pombas ●
● amar louvar sua dama navegar q é amor q se ama ●

● no centro obsceno da escravidão ●
● negra minha negra minha roupa ta tão mal passada ●
● preto meu preto ha tanta terra inda por trabalhar ●

● no centro obsceno da escravidão ●
● cavalo meu bom cavalo ha tanto capim no teu ceu ●
● sinha minha boa sinha se vão assim todas as pombas ●

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s