[um saco agita uma palavra…]

um saco agita uma palavra a afundar-se na orla
do transparente mar azul

aí colho o seu rosto fino que floresce sobre as páginas a repousar
num relâmpago

enquanto as fortes vagas oceânicas amparam secretamente
as nossas insónias

 

filipe marinheiro, in «noutros rostos», chiado editora 2014

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s