Com Sombra de Dúvida

gato

IMagem: Pinterest.com

Quando um rato

Rói até os próprios olhos

Até o aço que o rodeia

E a fina camada

De ódio que o acoberta

Até o gato vira equilibrista

E desconfia da arapuca.

 

Quando um rato

Nem mexe os bigodes

Para roer os pés

E as línguas que o lambem

É dia de sombra no convés

E dia de dúvida no mar.

 

Cuidado com o rato

Que cai

E levanta livre.

 

Márcio Leitão

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s