Poemas XXVIII de Líria Porto

frágil

                                                               Imagem: Pinterest.com

 

pressa
espero espero
enquanto espero não vivo
o tempo passa
envelheço
e o futuro lá longe

felicidade é promessa
que não se cumpre

 

*

fraquinha
pequena
branquinha
os ossos
rendados
a bruma
a brisa
por leves
que fossem
fariam
titia
alquebrar-se

) no último
tombo
trincou
o asfalto (
Líria Porto

Uma ideia sobre “Poemas XXVIII de Líria Porto

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s