Poemas de Líllian Régis (1)

crisálida

                                                                                   Imagem: Pinterest.com

gestação

 

a poesia

tece

seus sonoros fios

de seda

 

me esconde

em seu delicado

casulo

 

em secreto

tece

minhas asas

pinta

minhas cores

rompe-me a crisálida

e me prepara

para o voo

______________________________

o poema zomba de mim

ajoelhada, o vejo escondido

embaixo da cama

 

o poema goza de mim

que tenho os joelhos ralados

de tanto esperar

 

travesso, me oferece palavras tontas

mal estendo as mãos

ele as puxa de volta

 

em vão estico os braços e os dedos

meto-me embaixo da cama

arrasto-me

minha mão chega quase a tocá-lo

(sou capaz de sentir sua pele)

 

mas ele, serelepe e veloz,

foge depressa

me deixando coberta de poeira

e silêncio

_____________________

 

descompasso

 

 entre a voz

do músico

e as mãos

do poeta

danço

 

entre o dedilhar

e o declamar

entre a lira

e o violão

(b)ardo

 

 

Líllian Régis

Anúncios

2 ideias sobre “Poemas de Líllian Régis (1)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s