Poema Inédito de Expedito Ferraz Jr.

burca

Foto: Pinterest.com

 

No meio da frase

esqueço a palavra.

Saio em disparada.

Corro em desespero.

Como em pesadelo,

persigo um fantasma

como quem procura

certo par de olhos

que ontem sorriram

na fenda da burca.

Mas tantas mulheres,

súbito usam burcas,

e todas têm rostos

que miram no nada,

ou todas sorriem

com olhos de ontem,

camuflando a fuga

disso que me falta.

No meio da frase

me falta a palavra.

Mas não falta, apenas:

cintila e me cega,

míngua e, já vertigem,

quer luzir, se apaga

morre num letreiro

que cai dos escombros

de minha cidade

recém-bombardeada.

 

No meio da frase

me foge a palavra.

Mas não foge, apenas,

antes, se insinua,

risca o céu, cometa,

quer se dar, se nega,

como a mão de Dora

repreende o vento

que lhe inflama as saias,

labareda alada,

enquanto o sorriso

diz que sob as saias

(que meus olhos sopram)

Dora veste nada…

 

Expedito Ferraz Jr.

Anúncios

Uma ideia sobre “Poema Inédito de Expedito Ferraz Jr.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s