Poemas XXVII de Líria Porto

feminismo

 

reviravolta

 

maria temia os homens

o pai o irmão o marido

resquícios dos tempo idos

de servidão de silêncio

 

o abandono o desterro

maria fortaleceu-se

não quer nem precisa dono

comanda as rédeas do eu

 

*

 

matriz e filial

 

ela é mãe dos dez legítimos

eu sou a mãe dos bastardos

 

ele tem catorze filhos

o felizardo

 

*

 

malandragem

 

nua e linda – despudorada

a lua me olha com cara de puta

depois da noitada

 

(eu podia ter escrito um haikai)

 

Líria Porto

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s