VATE

Fendo o seu ventre noturno,
alma e carne.
Em parte calmaria, ora vate.

Olhos abertos no escuro,
pausa perene da sombra:
frêmito,
mesmo com a palavra oca.

Salto sem asas,
ser sem massa,
hiato
no meio da praça.

Olhos fechados, pra ver o que dentro parte.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s