quadros

A cor do manjelão na língua

alcança o quase perdido:

eu e minhas primas quebrando adicuri durante as tardes

escolhendo um ponto fixo na pedra para encaixá-lo

e retirar da sua casca o coco inteiro

Escrevíamos nossos nomes e datas

em cada caule da goiabeira vermelha

Juntávamos as castanhas para assar no quintal

impregnando chão e paredes de carvão e sentimento

Imagens que abro agora inteiras como o coco do adicuri

pairam sem gravidade dentro de mim.

 

Acácia Rios

Anúncios

2 ideias sobre “quadros

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s