[desço o aroma ao mar…]

desço o aroma ao mar incandescente estreito-o no peito turvo

e todo o mar é um fio de sabores rentes à lucidez
que se despenha na tua boca enrolada entre gestos esquivos

e saram os demais sofrimentos que te racham ao meio
porque a onda plana por dentro é polida

e embala tais últimos vestígios

por Filipe Marinheiro in «Noutros Rostos» 2014

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s