Poemas III de Líria Porto

ganidos


finquei todo o meu desejo
no branco lençol do leito
deitei-me só e de borco
e assim eu em decúbito
abraçada ao travesseiro
farejava o teu cheiro
qual um cachorro

meu corpo de tanta ânsia
derramava a substância
advinda do meu cio
as lágrimas me afogavam
afundavam-me em areia
movediça

a fresta entre minhas pernas
jogadas de qualquer jeito
abrigava a rejeição
as ausências repetidas
das vezes que te chamei
sem retorno

não vieste não virás
e o vão do meu umbigo
a ganir nos teus ouvidos
não te deixará

*

friagem


tão longas as noites de inverno
e a terra
envolta em luar e em saudade
leva-me a pensar que a vida
embora bela
cantada e decantada pelos poetas
não vale o quanto pesa-me

*

paixão


um cão vadio disse ao girassol – vem comigo
vou levar-te ao polo norte onde o sol brilha
seis meses consecutivos
:
morreu de overdose
a pobre flor

Líria Porto

Anúncios

Uma ideia sobre “Poemas III de Líria Porto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s